Estruturas latentes de coesão comunitária: estudo multiplexo em duas comunidades populares de Belo Horizonte (Brasil)

Silvio Salej Higgins

Resumen

A condição multiplexo das relações sociais constitui o objeto central da chamada sociologia neoestrutural. A multiplexidade abarca o conjunto de mecanismos que explicam a emergência de formações sociais. Eis a ideia força de Harrison White: as identidades em busca de controle pulam entre diferentes domínios de redes dando origem a novos papeis sociais ou tipos organizacionais dentro do espaço social. Modelar a condição múltipla dos laços sociais tem sido um desafio da comunidade de cientistas sociais que apelam para a análise de redes. Após o pioneiro método CONCOR introduzido por White et al (1976), novas soluções têm sido procuradas visando critérios de ajuste ótimos e interpretáveis entre os blocos ou clusters de atores do sistema multiplexo. Fizemos um estudo comparativo entre a elite de lideranças de duas comunidades populares da cidade de Belo Horizonte (Brasil), uma com um histórico de violência e criminalidade e outra relativamente pacífica. Visamos entender estruturas latentes de coesão em cada sistema comunitário, a partir de dados multiplexo que incluem relações para a troca de informação, reconhecimento ou status e colaboração. Foi feita uma análise de blocos utilizando o pacote computacional Integrated Classification Likelihood (ICL) disponível em R. Os resultados permitiram descobrir duas estruturas latentes bem diferenciadas em termos da coesão da elite de lideranças, uma de tipo markoviano ou triádico e outra de circuito social para além da tríade.  

Palabras clave

Análise multiplexo; Blockmodeling; Integrated Classification Likelihood

Texto completo:

PDF (Português)

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM
Copyright (c) 2019 Silvio Salej Higgins