Desenvolvimento Regional e Análise de Redes Sociais: um estudo do Arranjo Produtivo Local (APL) caprinovinocultura em Pernambuco-Brasil

Marcos Aurélio Dornelas, José Geraldo Pimentel Neto, Márcia Pereira Lira

Resumen

Os fluxos de recursos em um arranjo econômico dependem do ambiente social em que as organizações estão inseridas. A caprinovinocultura é economia secundária na maioria dos municípios pernambucanos. Entretanto, se reconhecia a existência de um Arranjo Produtivo Local (APL) caprinovino no Estado. Tal arranjo, composto por oito cidades, foi a base para este trabalho que é parte de um diagnóstico realizado no ano de 2011 sobre a governança do APL. Foram aplicados questionários as organizações envolvidas com a atividade econômica no sentido de analisar a estruturação socioinstitucional em termos de fluxos e influência. Observou-se que a união de criadores em torno de associações pode estar na base de uma governança local mais eficiente, permitindo maior acesso a crédito e a mercado. Esse ambiente favorável se observa em algumas das cidades aqui analisadas. Em outros municípios, a dificuldade de articulação entre as esferas públicas já é fator suficiente para que o APL não se desenvolva adequadamente. Logo, não há fator determinante para o sucesso de um APL; vários aspectos concorrem, desde a capacidade de organização dos criadores, a disponibilidade de financiamento, ou mesmo a ação governamental; certo é que esses fatores, geralmente articulados, são fundamentais para o sucesso do Arranjo.

Palabras clave

Redes sociais; APL; Caprinovinocultura; Pernambuco

Texto completo:

PDF (Português)
Copyright (c) 2013 Marcos Aurélio Dornelas, José Geraldo Pimentel Neto, Márcia Pereira Lira